Cyndi Lauper anuncia músicas novas a partir do outono

O site Equality 365 realizou uma entrevista exclusiva com Cyndi Lauper para contar sobre sua turnê com Rod Stewart. O portal também conversou sobre o próximo trabalho dela, sua Fundação True Colors e muito mais. Confira entrevista completa abaixo:

Como está indo a turnê até agora?

Estou me divertindo muito. O público tem sido ótimo. Tem sido divertido. Acabei de tocar no MSG há algumas semanas em Nova York, então é sempre divertido ter tempo para conversar com a família e os amigos e fazer com que eles venham ao show. Agora estamos nos preparando para ir ao Ocidente para mais shows. Eu mal posso esperar!

Como sua turnê com Rod Stewart surgiu originalmente?

Rod e eu dividimos um palco nos anos 1980 e novamente alguns anos atrás em um evento privado. O evento correu bem, ele veio até mim e disse: ‘nós devemos fazer isso de novo’. Depois disso, meu agente ligou e me disse que a turnê estava se realizando. Funcionou tão bem em 2017, que decidimos fazê-la novamente neste verão.

O que podemos esperar no show?

É uma grande festa! ! Não apenas para os fãs, mas para todos nós – as bandas, eu e Rod. Vai ser divertido também. Claro, espere algumas surpresas!!! Boa música e boas risadas. É uma noite para fugir e se divertir.

Qual é a sua coisa favorita sobre Rod Stewart?

É uma longa lista – ele é gentil e engraçado. Nós gostamos de falar sobre música, moda e sobre nossos filhos. Nós gostamos de falar de penteados LOL. Nós só temos muito em comum, então estar na estrada juntos é fácil. Nós dois gostamos de nos dar 100% a cada noite e garantir que o público fique feliz com uma ótima experiência.

“Detour” foi uma grande mudança musicalmente; bem, eu acho que está bem ali no título do álbum. O que fez você querer criar um álbum country?

Eu sempre quis trabalhar com Seymour Stein. Seu conhecimento da história da música é inacreditável, então, já que eu faria outro projeto de covers, eu sabia que ele seria o parceiro perfeito. Nós estávamos apenas saindo e ouvindo músicas. Na época eu não tinha certeza de que direção eu estava indo. Mas quando comecei a ouvir, descobri que as músicas pelas quais me emocionei eram músicas da mesma época que o álbum de blues. Seymour explicou que a era de ouro do country, que todas as músicas de ‘Detour’ são, estava acontecendo ao mesmo tempo que a era de ‘Memphis Blues’. Eu realmente gostei da ideia de fazer um álbum que fizesse companhia para ‘Memphis Blues’ e olhar a música de ambos os lados daquela rua.

Você fez muitas colaborações maravilhosas em “Memphis Blues”, você faria isso de novo?

Absolutamente!!

Você está trabalhando em novas músicas / álbuns?

Sim, estou trabalhando em um musical e compondo músicas para meu novo álbum. Estou fazendo uma pausa no momento para estar na estrada com Rod. Eu voltarei ao estúdio no outono e inverno. Eu também tenho que conciliar tudo isso com a escrita de novas músicas para a adaptação da Broadway para “Working Girl”, mas a composição é uma das minhas favoritas, se não a minha favorita, estou ansiosa para estar no modo de escrever este Outono. /Inverno.

Você pode nos contar um pouco mais sobre o novo musical?

Estamos no meio disso agora. Eu vou compartilhar mais quando eu puder. A peça está em grande forma e estou animada com isso. Vai ter tudo – coração, uma mensagem e música edificante para fazer você chorar, rir e dançar.

Como foi empoderador revelar sua luta contra a psoríase e endossar uma medicação para seu tratamento?

Sim, foi. Minha parceria com a Novartis surgiu muito organicamente. Eu tenho estado livre dela há mais de 3 anos e estou muito feliz com isso.

Você é uma firme defensora da comunidade LGBTQ. Como isso veio à tona?

É simples. Sou amiga e tenho membros na família da comunidade LGBT e de onde venho defendo as pessoas de quem gosto. Quando seus direitos civis estão sendo espezinhados, não tenho outra opção a não ser falar e agir da maneira que puder. Eu sempre terei as costas deles, assim como eles sempre tiveram as minhas.

Como surgiu a ideia da sua True Colors Foundation?

Antes de existir o True Colors Fund, havia o True Colors Tour que viajou pela América por dois verões em 2007 e 2008. Nós cruzamos o país falando sobre igualdade e levantando mais de $250.000 dólares para organizações LGBT. Quando estávamos no ônibus da turnê indo de cidade em cidade, começamos a conversar e nos perguntamos se poderíamos ter um impacto ainda maior. Então, decidimos dar uma chance e começamos o True Colors Fund. Primeiro, trabalhamos para educar e engajar aliados por meio de nossa Campanha Give a Damn, mas quando aprendemos mais sobre os 40% de jovens que sofrem de falta de moradia sendo LGBTQ, sabíamos que era a questão que o True Colors Fund precisava colocar. Toda a sua energia nisso.

Como a classe média pode apoiar a Fundação True Colors ou até mesmo ajudar os jovens LGBTQ em sua área?

A coisa mais simples que alguém pode fazer para apoiar o True Colors Fund é visitar nosso website em www.truecolorsfund.org para aprender mais sobre a falta de moradia de jovens LGBTQ e nosso trabalho, junte-se à nossa lista de e-mail para que possamos mantê-lo atualizado e saber como você pode se envolver, ou até mesmo fazer uma doação, se você puder. Além disso, em nosso site, você pode encontrar nosso diretório True Inclusion List, que lista provedores de serviço que atendem jovens LGBT de forma segura e acolhedora. Você pode encontrar a agência mais próxima de você, aprender mais sobre eles e encontrar informações sobre como você pode ser voluntário ou doar para eles.

Você tem uma mensagem para a juventude LGBTQ?

Em primeiro lugar, tenha orgulho de quem você é! Embora às vezes pareça difícil de ver, há um futuro de possibilidades esperando por você, e se você está lutando e precisa de ajuda, há pessoas por aí que estão lá para ajudar. Entre em contato com sua família e amigos em quem você confia. Envolva-se com o GSA na sua escola, se tiver um. Se essas não forem possibilidades, entre em contato com o centro comunitário LGBTQ mais próximo de você. Você pode encontrá-las em nosso site ou em www.LGBTCenters.org.

COMENTÁRIOS